segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Remember.


Algumas coisas são realmente impossíveis de serem controladas. Em especial as lembranças.

Às vezes pensamos ter esquecido, apagado de nossas vidas; mas que tolice. Elas estão sempre lá, e temos acesso a elas o tempo todo. E é uma droga ter que admitir isso mas as suas lembranças estão bem vivas. E essa semana estão como pipocas, saltam a cada instante. Exatamente como pipocas. Estão lá quietinhas na panela, e por algum pequeno detalhe, começam a ferver. E de repente saltam e saltam. Até que chega um ponto em que elas transbordam e a tampa não as segura mais. Não estou te comparando a nada, mas as suas lembranças estão assim. Nesse momento, elas transbordaram.

Acho que foi aquela música que costumávamos compartilhar. Andei ouvindo ela a alguns dias. E também por que vi uma pessoa ligada a você. Ah e achei aquele CD que você me deu. E claro, pelo simples fato de que por mais que eu fuja, por mais que eu corra e me esconda. Mesmo que as deixe num cantinho qualquer, bem distantes, as lembranças, suas lembranças sempre voltam.

Mas está tudo bem, estou bem. Não foi sofrido te lembrar. Foi mais como alguém muito importante, que marcou minha vida, e que não está mais aqui. Não doeu como há algum tempo atrás.

Passou, como eu sabia que passaria.

Um comentário:

  1. O pior de tudo é que passa, sempre passa. E por mais que doa lá no fundo a gente não queria que passasse, porque dói, mas é uma lembrança.
    Mas que bom que você consegue hoje, lembrar sem doer *--*
    Amo muito você ;*

    bellanogueiira.blogspot.com

    ResponderExcluir