sábado, 25 de dezembro de 2010




W.: Quero tanto conversar contigo. Saudade. Minhas confidências tem de esperar mais de 24h agora.Saudade do nosso dia-a-dia.
N.: Até de te ligar pra lembrar o que tu tem que fazer.
W.: Como eu te amoo. Tanto, tanto.
N.: Demais...
W.: Saudade de quando não precisava de motivos pra dizer isso sabe? Quando um EU TE AMO se tornava natural por ser frequente.
N.: Mas sabe de uma coisa. Agora, os "eu te amos", são raros. E as coisas raras são tão especiais. Porque você sabe que não fala por rotina, ou frequência. Fala porque sentiu a verdade ao falar. E isso aumenta o significado das palavras, se é que em algum momento elas puderam ser medidas.
W.: Queria tanto um abraço teu agora...




p.s: eu te amo maninha.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Remember.


Algumas coisas são realmente impossíveis de serem controladas. Em especial as lembranças.

Às vezes pensamos ter esquecido, apagado de nossas vidas; mas que tolice. Elas estão sempre lá, e temos acesso a elas o tempo todo. E é uma droga ter que admitir isso mas as suas lembranças estão bem vivas. E essa semana estão como pipocas, saltam a cada instante. Exatamente como pipocas. Estão lá quietinhas na panela, e por algum pequeno detalhe, começam a ferver. E de repente saltam e saltam. Até que chega um ponto em que elas transbordam e a tampa não as segura mais. Não estou te comparando a nada, mas as suas lembranças estão assim. Nesse momento, elas transbordaram.

Acho que foi aquela música que costumávamos compartilhar. Andei ouvindo ela a alguns dias. E também por que vi uma pessoa ligada a você. Ah e achei aquele CD que você me deu. E claro, pelo simples fato de que por mais que eu fuja, por mais que eu corra e me esconda. Mesmo que as deixe num cantinho qualquer, bem distantes, as lembranças, suas lembranças sempre voltam.

Mas está tudo bem, estou bem. Não foi sofrido te lembrar. Foi mais como alguém muito importante, que marcou minha vida, e que não está mais aqui. Não doeu como há algum tempo atrás.

Passou, como eu sabia que passaria.

sábado, 11 de dezembro de 2010



Não importa quem você seja, o que gosta, ou onde mora,
existe alguém lá fora que precisa de você.

E que precisa de alguém muito maior e melhor. Que precisa de Deus.
Faça-o conhecido.

Ele te ama e esse amor é para todos.
Incondicional, inexplicável e infinito.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Por aqui


Não, sem mais partidas, nem despedidas.
O que eu quero agora é fincar âncora.

Deixar de lado essa história de partir por causa de um coração quebrado.
Afinal, ele não se reconstrói com uma simples mudança de ambiente, de mares.
Chega de partir a procura de um novo cais. O meu porto é aqui.
Não sou desses barcos que dão voltas e voltas ao mundo.
Já fui aqui e ali. Naveguei por águas turbulentas. Mas, hoje, a bonança se faz.
A calmaria depois da tempestade.

Nunca fui muito inconstante, só fui navegar para que os novos ventos a soprar nas minhas velas, me fizessem dar lugar a um novo caminho, que não fosse o seu.
É só que, depois de um certo tempo fincada em algo/alguém, a gente procura uma onda que nos empurre para as águas tranquilas. E não é que eu achei?
Encontrei essa pequena ilha, com uma praia linda ao redor, onde posso lançar a minha âncora.
Então, é aqui que estou. E amando tudo isso.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Smile





"E quando você sorri
O mundo inteiro para e fica olhando por um tempo..."










Maninha, luz da minha casa.
Eu te amo.