terça-feira, 23 de novembro de 2010

Re-amar

E então, você se tornou realmente isso tudo pra mim.

Não imaginava que poderia ser assim. Você sempre esteve lá, tão na sua, tão calado.E de repente você lança todo esse sentimento na minha já existente confusão com relacionamentos. Era impossível pra mim, mudar o que eu sentia por você. Impossível.

E é aí que eu me surpreendo.

Você veio com seus carinhos e doces e incansáveis esperas. Suas declarações tão explícitas. A verdade no que sentia, e o orgulho de deixar que todos soubessem. Sem vergonhas, nem culpas, nem receios.

E eu que estava tão machucada, tão decepcionada, queria esquecer dessas coisas/bobagens do coração por um longo, longo tempo. Essa seria a regra. Pois é, houve uma exceção.

Você me disse uma vez que nenhum outro poderia fazer o que você fez por mim, ou melhor, até podiam, mas não como você. Não do seu jeito. E foi aí que eu entendi que tinha que ser. Você sabe que não agora, não nesse momento, ainda existem alguns pontos a tratar, mas sim, vai acontecer.

Você me faz feliz de forma simples, com esse sorriso besta e sínico, com suas palhaçadas, e nossas conversas fáceis, não preciso de grandes coisas, e mesmo assim você as faz.

Como diria Caio “você cresceu em mim de um jeito completamente insuspeitado”.

Você é agora, meu conforto, o fôlego. Meu bem.

--

"Porque gostei muito que você tivesse vindo, deu vontade de ficar mais tempo junto, deu vontade de levar essa história até o fim."

Caio F.


sábado, 6 de novembro de 2010

Falta


Eu sinto saudades. Coisa estranha essa tal de saudade.Você não vê, não pega, mas ela está ali. Saudade dói. Dói forte.É como se alguém estivesse apertando o seu coração; estrangulando-o. É uma dor imaterial. Não dá pra fazer curativos.Mas há consistência neste imaterial. Eu sinto saudade dos sonhos. Do cheiro. Do gosto. Das carícias trocadas. De tudo que poderia ter sido. Não foi. Eu sinto saudade das palavras doces. Do olhar carinhoso. Dos planos loucos. Eu sinto saudade também do que não existiu. Queria tanto que tivesse existido. Mas não houve.
Eu sinto saudades. Ela mora em mim.
Um dia para de doer.
Ela está começando a ir embora.
E eu já sinto saudades

Do Caio F. Abreu, sempre.