sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Arruma a mala

Sabe quando você pensa em tudo aquilo que já viveu?
Só, acompanhado, mal-acompanhado, entre amigos, enfim.

Sabe quando você pensa em tudo que já passou?
A alegria de conquistar algo. A tristeza de perder alguém.
O prazer de andar segundo você mesmo.
A dor de ter feito umas ecolhas erradas.
O amor nascendo e crescendo a cada instante.
A decepção com algumas pessoinhas.

O arrependimento de ter falado, ou de ter silenciado.

A gente pensa em tudo o que já viveu, e vê que não importa esse papo jovem não ter experiência ou de não ter vivido coisas suficientemente maduras ou memoráveis. Quem diz isso é porque acredita que a vida é vivida ano a ano.
Eu? Bem eu penso que ela é vivida instante a instante.

Sabe aquele segundo entre um piscar de olho e outro. Entre uma respiração e outra. Entre um pulsar e outro.
É disso que devemos encher as nossas bagagens.

Não se espera chegar ao fim da vida, para dizer que fez coisas maravilhosas. Se espera a cada segundo ter uma lembrança nova. De como você foi feliz, ou de como você se entristeceu, mas aprendeu a lição.


E aí você percebe as mudanças, as melhoras, as caminhadas, a jornada. Na verdade nem sei porque estou falando isso, mas é que hoje eu percebi que eu tenho algumas histórias na bagagem. Antes eu queria apagar as lembranças delas. Mas agora não. É preciso lembrar, pra ver que eu precisei me agarrar a certeza, certeza de superá-las.
E que bom, eu me feri, mas me curei.

E são essas coisas que se deve levar.





--
"Ela era bonita. Mas não era bonita e só - como a maioria dos bonitos, ela era bonita e tinha muitas outras coisas na bagagem."
Caio F. Abreu

Um comentário:

  1. E que bom, eu me feri, mas me curei.
    E são essas coisas que se deve levar.

    Espero encher minha bagagem de coisas boas, e tranformar as coisas ruins em experiências.
    Pra ter muitas outras coisas na bagagem, além da minha beleza, shauhsauhsauhs!

    foto linda *o*
    arrazou amiga.!

    ResponderExcluir