quarta-feira, 25 de agosto de 2010

De presente


- Te dou meu céu, meu mel, meu arco-íris - com todas as cores pra enfeitar-,

meu jardim de rosas e jasmins, meu coração, minha emoção.
Porque você foi assim, você é assim. Como recuperar o fôlego.

meus amados 18 anos



E neste aniversário eu quero...

- Agradecer a Deus por mais um ano de vida, por cada instante que Ele me permitiu respirar.
- Agradecer pela família maravilhosa, os amigos encantadores, e os amores bem vividos(ou não).
- Pelos momentos de felicidade, pelas tristezas que me fizeram perceber que a vitória estava chegando.

Pois é, 18 anos quem diria. A bebê da mainha (é, era chamada assim), hoje se tornou uma mulher.
Oficialmente, uma adulta.
E a partir de agora?
Viver intensamente, amar mais as pessoas, ter mais responsabilidades.
E ser feliz.
Sempre.


"Há 18 anos atrás nascia a Susana, e hoje ela está aqui, linda e amada. Não vou mais falar daquela história que todo mundo já sabe, que ela caiu da cama enquanto dormia comigo. Ela não lembra que caiu, mas lembra que eu a achei. E eu fiz parte de toda vida dela, eu cuidei dela desde pequenininha, até hoje. Essa minha neta linda, a minha primeira netinha..."
Vó Nice

E feliz cumpleaños para mim <<

domingo, 15 de agosto de 2010

Começando esse post sem na verdade saber o que realmente falar. Por vezes me dirigi a parte do blog onde diz “Nova postagem”, mas nessas tantas vezes acabei fechando-a sem nenhuma idéia. Até agora está sendo assim.
Não aconteceu nada de tão interessante que me faça contar aqui, e nem ele voltou. Aliás, se tinha uma coisa que eu não queria falar era sobre isso. Sobre ele. Ou sobre histórias (in)acabadas. Era a única certeza. Mas não deu pra fugir. Embora eu já tenha dito aqui que cansei de te esperar e de escrever sobre meus devaneios – o que ainda é verdade – pensei em falar sobre como eu estou te superando...

Eu vi uma frase, creio que em Grey’s anatomy, que dizia o seguinte:
Porque não importa o quanto algo está machucando-nos,
por vezes, deixá-lo ir dói ainda mais.


E nossa, como eu sei disso. Mesmo que eu reconheça que tudo o que aconteceu me machucou bastante, deixar que suas lembranças partam me doem demais. É triste ter que deixar ao vento as suas lembranças, e deixá-las soltas para voarem pra bem longe. Não sei como isso acontece, mas de repente eu olho pra sua foto e já nem lembro mais de tantos detalhes.
Já não lembro da sua voz me chamando de amor, nem do jeito como você me falava aquela frase que eu tanto gostava. Não lembro do seu cheiro, e as suas mensagens foram todas excluídas.
Sabe, eu estive olhando aquela foto que nós tiramos, meu sorriso era tão verdadeiro nela. Mas, agora eu sei que não me sinto da mesma forma em relação a você. Acho que finalmente estou me afastando, não fisicamente, afinal isso já fazem 5 meses. Estou me afastando, te afastando do pensamento, do coração. Só, apagando...
Eu estou bem, tinha que ficar, e consegui.

--

"Algumas coisas não servem mais. Você sabe. Chega. Porque guardar roupa velha dentro da gaveta é como ocupar o coração com alguém que não lhe serve. Perca de espaço, tempo, paciência e sentimento. Tem tanta gente interessante por aí querendo entrar. Deixa. Deixa entrar: na vida, no coração, na cabeça."
Caio F. Abreu

sábado, 7 de agosto de 2010

Sarando


As pessoas sempre nos dizem o que fariam se fossem nós.

"Encare isso, coloque um band-aid e supere."

É fácil sugerir uma solução rápida quando você não sabe o problema, quando não sabe o que está por trás, ou quão profunda a ferida na verdade é.
O primeiro passo na direção da cura é saber exatamente qual é o problema, para começar. Isso não é o que as pessoas querem ouvir. Devemos esquecer o passado que nos trouxe até aqui, ignorar as complicações futuras que possam surgir, e apelar pra solução fácil.
Como amigos, como seres humanos, nós tentamos fazer o melhor possível.
Mas o mundo é cheio de curvas e viradas inesperadas. E bem quando você acha que já conhece o território, a terra debaixo dos seus pés começa a se mover e te derruba no chão.
Se tiver sorte, você acaba somente com um arranhão, algo que um band-aid resolve. Mas algumas feridas são mais profundas do que a princípio parecem ser e exigem mais que uma solução rápida.
Em certas feridas, você tem que arrancar o band-aid, deixá-las respirar, e dar-lhes tempo... para sarar.

Grey's Anatomy, episódio 20, 2ª temporada - adaptado.

--

p.s: É isso que eu estou fazendo, sarando. Tenho que deixar certas feridas respirarem, caso contrário não teriam tantos band-aids.
p.s 2: Devido a uma grande besteira minha acabei perdendo meu antigo template, então o Berg, me salvou e deu essa nova cara ao meu refúgio. Espero que curtam porque eu amei. Obrigada maninho, por isso eu te amo.
p.s 3: Pensando bem, foi bom ter perdido o outro template, tá na hora de mudar algumas coisas, aqui e em mim.

Beiijo