domingo, 27 de junho de 2010

Nó na garganta.


"Eu queria dizer algumas coisas que ficaram a ser ditas, mas por algum motivo eu não falei, acho que por aquilo que chamam de nó na garganta.
Lembra quando eu disse que todas as vezes que eu falava "eu te amo", eu falava de verdade, com todo o coração? É sério. Eu sei que é. Agora sei.
Desculpa por ter passado tanto tempo longe. Essa distância toda foi só confusão. Me perdoa também, por ter ficado confuso com algo que tava bem na minha cara e eu só percebi quando estava te perdendo. Mas agora eu sei.
Lembra quando você me disse que sentia uma ansiedade enorme, que dava vontade de pegar o primeiro ônibus e procurar minha casa - mesmo correndo o risco de se perder -, que toda vez que o seu celular tocava você corria e andava com ele o tempo todo esperando que eu ligasse, e que você se pegava sorrindo quando pensava em mim? Lembra?Pois é, eu me sinto assim agora.
Esses meses foram muito vazios. Faltava o som do seu riso no ar, as nossas trocas de canções, os depoimentos, as conversas sinceras, as ligações de boa-noite, a sua voz antes de dormir. Sabe, faltava você.
E pra te provar tudo isso, hoje eu trouxe a sua música. Aquela que eu nunca tive coragem de te mostrar. Que fala do seu jeito, do seu olhar, do seu sorriso, e do meu amor por você. E vou te dizer também aquela frase tão prometida e esperada.
Eu sei, posso até sair daqui com um "não" bem expressivo, ou posso ver que já tem outro alguém ao seu lado. Alguém que te amou enquanto você podia dizer sim, e enquanto era só isso que você queria. E o pior é que você me disse isso, que só precisava de mim. Mas mesmo assim eu precisava dizer, já passei tempo demais guardando essas palavras e esse sentimento, você sabe. Então é isso, lá vai.

Eu ainda penso em você. Na verdade, eu ainda te amo.

--

Droga, mania de sonhar acordada. Desculpa gente pelos posts tão desabafos e cheios de amor ressentido, mas é que ultimamente tem chovido tanto aqui.



(...)lá fora e aqui dentro.

Um comentário:

  1. querida, se eu encontrasse a palavra ideal para elogiar você, seria commo um alívio... Pois seus textos são bom demais, e eu nem sei como te dizer isso de uma forma que esteja a altura!

    é cheio, cheio, cheio de verdade. de emoção. de você. claro, é amor ressentido, mas é forte, sabe? você escreve daí e eu sinto tudinho daqui.

    as vezes nem sei se quero que tudo volte a dar certo entre você e ele, porque eu não terei mais o imenso prazer de ler seus devaneios! eles são tristes mas são lindos! *-*
    tão lindos quanto os do divo Caio Fernando.
    falo sério, hein?! (:

    Tá tudo tão 'pra baixo' por aqui mas de qualquer forma maninha, como escrever coisas felizes nessa chuva? como nessa chuva?

    Força maninha.
    Tudo vai ficar bem.
    Acho que você nem imagina o quanto eu tô torçendo pra que essa chuva passe...
    E eu tô falando da chuva interna.

    Beeijo, minha diva,
    Te amo. ♥

    ResponderExcluir