quarta-feira, 12 de maio de 2010

Dia.


Hoje, agora, eu só preciso ficar em casa.
Queria que chovesse. Chovesse o dia todo, pra que eu podesse fazer aquelas coisinhas típicas de um dia de chuva.

- assistir um filme daqueles bem melosos, com pipoca e chocolate (ou uma temporada inteira de Greys Anatomy);
- ficar na internet, postando no blog, vendo outros blogs e conversando por horas no msn;
- ouvir todos os cds do Guardian, Lifehouse, Resgate, Pimentas, Rosa de Saron;
- passar muito tempo no celular (com quem?)
- e por fim, dormir e dormir, ouvindo as gotas d'água batendo na janela...


São coisas boas, calmas, tranquilas.
Ah como eu queria que hoje chovesse...

--

"Tenho dias lindos, mesmo quietinhos."
Caio F. Abreu




domingo, 9 de maio de 2010

Sentimentos de domingo


Ok, ainda penso em você.

E eu não sei o motivo, mas, hoje você me fez muita falta.
Aliás, até sei, foi porque eu te vi.
É claro que eu não te tiro do pensamento, só porque não te vejo. Mas é que quando não estás por perto eu consigo controlar o que sinto.
Mas eu te vi. E você tava tão lindo com aquela camisa vermelha.
E foi estranho, porque até algum tempo atrás, a gente ficaria um bom tempo abraçados.
Como da última vez, lembra?
Mas não foi o que aconteceu. E eu tinha aquela sensação meio dolorosa de estar tão perto e tão longe. Distante. Separados.

E os meus olhos te procuravam, e eu tinha tanta vontade de dizer que eu ainda amo você, que eu sinto falta do seu abraço, do seu sorriso, da sua voz, do seu cheiro...

Não sei porque me sinto assim, acho que a culpa é desse domingo, da chuva, do tempo.
Com certeza, é isso.
A culpa é do domingo.


23:54h

...

00:01h

Fim do domingo.

sexta-feira, 7 de maio de 2010


Não vou perguntar porque você voltou, acho que nem mesmo você sabe. Eu também não queria perguntar, pensei que só no silêncio fosse possível construir uma compreensão, mas não é, sei que não é, você também sabe, pelo menos por enquanto, talvez não se tenha ainda atingido o ponto em que um silêncio basta? É preciso encher o vazio de palavras, ainda que seja tudo incompreensão? Só vou perguntar porque você se foi, se sabia que haveria uma distância, e que na distância a gente perde ou esquece tudo aquilo que construiu junto.E esquece sabendo que está esquecendo.

Caio F. Abreu