quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010


Assim, sempre puxados para novas margens
Para a noite eterna levadas sem retorno
Não poderíamos nós no oceano do tempo
Lançar âncora um só dia?
Ó lago! O ano apenas terminou seu curso
Ó tempo! Suspende teu vôo! E vós, horas felizes, parai de correr!
Deixai-nos saborear as rápidas delícias dos nossos dias mais belos!
Mas eu peço em vão alguns momentos a mais E o tempo me escapa e foge;
Eu peço à noite: "Sejas mais lenta", e vem a aurora pra dissipar a noite.
Então amemos, amemos! A hora é fugitiva, apressemo-nos!
O homem não tem porto, o tempo não tem margem;
Ele corre e nós passamos!
Que o vento que geme, e o caniço que suspira,
Que os perfumes suaves do ar embalsamado,
Que tudo que ouve, que vê e respira,
Que nos digam: "Eles amaram!"

O lago - Alphonse de Lamartine

Nenhum comentário:

Postar um comentário