sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Amigos-irmãos



''Se são amigos mesmo, não precisam nem falar
Podem caminhar lado a lado em silêncio.
Não é preciso troca de elogios constantes
Podem até pegar no pé um do outro, delicadamente.
Não é preciso manifestações constantes de carinho
Podem dizer verdades duras, às vezes elas são necessárias.
Mas há sempre algo sublime no ar entre dois amigos de verdade.
Talvez respeito seja a palavra.
Afeto, certamente.
Cumplicidade? Mais do que cumplicidade.
Sintonia?Acho que é amor.

Por amor, você empresta suas coisas, dá o seu tempo, é honesto nas suas respostas, cuida para não ofender, abraça causas que não são suas, entra numas roubadas, compreende alguns sumiços - mas liga quando o sumiço é exagerado. Tudo isso é amizade com trato. Se amigos assim entraram na sua vida, não deixe que sumam.''

Martha Medeiros


De vez em quando eu vou ficar esperando você numa tarde cinzenta de inverno, bem no meio duma praça, então os meus braços não vão ser suficientes para abraçar você e a minha voz vai querer dizer tanta, mas tanta coisa que eu vou ficar calada um tempo enorme...só olhando você, sem dizer nada só olhando e pensando: Meu Deus, mas como você me dói de vez em quando!

Caio F. Abreu

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Sintomas

Já tem um tempo que sinto algo diferente. Não sei explicar direito, talvez não seja boa com as palavras, mas por este sentimento, por isso tudo que tenho vivido, posso tentar.


Eu conseguia levar só comigo o que eu sentia, mas agora tá ruim de disfarçar.
Se de repente, num segundo, um sorriso surge em meu rosto, o coração acelera e os pensamentos voam.
São sintomas de saudade, de querer, de amor...

Não há espaço pra segredos, eu já anunciei.
E agora eu só quero que você saiba que é em você que eu penso.







- Amor que mesmo sem palavras, fala por si só...
Luis Arcanjo

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010


Assim, sempre puxados para novas margens
Para a noite eterna levadas sem retorno
Não poderíamos nós no oceano do tempo
Lançar âncora um só dia?
Ó lago! O ano apenas terminou seu curso
Ó tempo! Suspende teu vôo! E vós, horas felizes, parai de correr!
Deixai-nos saborear as rápidas delícias dos nossos dias mais belos!
Mas eu peço em vão alguns momentos a mais E o tempo me escapa e foge;
Eu peço à noite: "Sejas mais lenta", e vem a aurora pra dissipar a noite.
Então amemos, amemos! A hora é fugitiva, apressemo-nos!
O homem não tem porto, o tempo não tem margem;
Ele corre e nós passamos!
Que o vento que geme, e o caniço que suspira,
Que os perfumes suaves do ar embalsamado,
Que tudo que ouve, que vê e respira,
Que nos digam: "Eles amaram!"

O lago - Alphonse de Lamartine

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

' Mas a tua sensatez me fez perceber, que não era brincadeira era pra valer...'

Todas as tardes - Pimentas do Reino

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

'Quando os jovens escrevem memórias, estão admitindo que um novo tempo se faz e que não convém esperar o amanhã para falar do tempo que ainda navega aos soprares de agora. A verdade é que todo agora é feito de muito ontem e um pouco de amanhã antecipado. Um livro de memória escrito por jovens é sempre um aviso de que talvez isso passe. Se passar terá deixado sua marca; terá valido cada sonho e cada gemido.'
Rock, fé e poesia